Background do Plano de negócios


Estou em dívida com o blog, eu sei. Não posto há um bom tempo. Porém, continuei estudando sobre o assunto, e posso dizer que estou melhor do que estava há uns meses atrás. Assim, hoje, vou falar um pouco sobre alguns dos meus requisitos no processo de seleção. Mais especificamente, "dividend yield" e "payout ratio."

Em 1992, Tweedy, Browne publicou “What Has Worked in Investing: Studies of Investment Approaches andCharacteristics Associated With Exceptional Returns,” um documento esboçando muitas das características dos seus próprios investimentos de longo prazo.
Tweedy, Browne incorporou os seguintes critérios de seleção desde pelo menos 1955:
·      Preço baixo em relação ao valor do Patrimônio
·      Preço baixo em relação aos ganhos
·      Um padrão significativo de compras por um ou mais “insiders”
·      Um declínio significativo no preço da ação
·      Pequena capitalização do mercado

Incluída na discussão, estão técnicas que procuram por ações com dividendos com “yields” altos e preços baixos em relação ao fluxo de caixa. O “dividend yield” ou retorno de dividendos (dividendos por ação em um período de 12 meses, dividido pelo preço atual da ação) é uma métrica muito popular usada por investidores de valor, especialmente aqueles interessados em ganhos com dividendos. Historicamente, ações com retorno de dividendos altos superam aqueles com retornos baixos. Porém, Tweedy, Browne citam um estudo de 2006 do Credit Suisse Quantitative Equity Research, mostrando que há uma direta correlação entre um baixo “payout ratio” (dividendos por ações em 12 meses dividido por ganhos por ação no mesmo período) e altos retornos com o universo de maior retorno de dividendos. 
Utilizando ações do S&P 500 entre 1980 e 2006, dividiram em 10 carteiras baseados no retorno de dividendos. Nesse período, as carteiras dos decis 8 e 9 tiveram melhor que a carteira com maior retorno (a carteira 10). (Figura abaixo)


Para entender o acontecimento, criaram 3 grupos de ações: alto, médio e baixo retorno de dividendos. Dentro desses grupos, criou-se uma sub-divisão: baixo, médio e alto “payout ratio.” Assim, encontraram que o grupo com melhor desempenho foi a que combinou altos retornos de dividendos com um baixo “payout ratio.”(Tabela abaixo)


Payout Ratio
Dividend Yield

High

Low
Low
8,6%
14,7%
16,9%

11,2%
13,1%
17,6%
High
11%
13,5%
19,2%
Fonte: High Yield, Low Payout, Credit Suisse Quantitative Equity Research , 2006


Outro estudo citado é o de David Dreman que também mostra que entre 1970 e 1996 ações com “dividend yield” altos superam ações com razões baixas de preço-ganhos, preço-valor contábil, e preço-fluxo de caixa (apesar de todas essas estratégias superarem o mercado).
Assim, se a companhia distribui grande parte dos ganhos como dividendos, pode comprometer seu crescimento. Pagando menos dividendos em relação ao seus ganhos (menor “payout ratio”), garante mais dinheiro para a empresa investir em seu crescimento. Dividendos pode ser um dos seus critérios de escolha, mas não pode ser o único, ele por si só não garantirá um melhor desempenho da sua carteira.

O que vocês acham desses critérios de seleção? Vocês acham que devem ser usados para criar um portfolio? Estou curioso para saber da opinião de vocês.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O processo